Aluno mata 10 em escola finlandesa

Na véspera, polícia interrogou - e depois liberou - o suicida por causa de vídeos nos quais ele treinava tiro

AP, AFP e Reuters, Kauhajoki, Finlândia, O Estadao de S.Paulo

24 de setembro de 2008 | 00h00

Um estudante de 22 anos abriu fogo ontem em uma escola no interior da Finlândia e matou 10 pessoas, antes de se suicidar com um tiro na cabeça. O massacre, o segundo no país em menos de um ano, ocorreu no colégio técnico de Kauhajoki, cidade de apenas 14 mil habitantes a 330 quilômetros ao norte de Helsinque. Identificado como Matti Saari, o atirador havia sido interrogado pela polícia na segunda-feira, após divulgar vídeos na internet em que aparecia praticando tiro. Mas ele foi liberado, pois, segundo as autoridades locais, não havia base legal para prendê-lo. Assista ao vídeo feito pelo atirador na internet Cronologia dos ataques contra escolas no mundoApós o massacre, Saari chegou a ser levado para o Hospital Universitário Tampere, onde morreu por causa do ferimento na cabeça. Dois alunos feridos no ataque também foram levados para o mesmo hospital - um deles em estado grave. Vestido de preto e usando uma máscara de esqui, o atirador entrou na escola com uma pistola calibre 22 e carregando uma bolsa grande, que provavelmente estava cheia de explosivos. Segundo a polícia, após abrir fogo contra alunos que estavam fazendo uma prova, ele teria queimado o corpo de algumas das vítimas, que tinham entre 18 e 25 anos. Saari havia obtido a licença para portar armas em agosto e, em seguida, comprou a pistola usada no crime. "Para o detetive responsável pelo caso, as circunstâncias não indicavam que era necessário confiscar a arma ou suspender a licença", disse a ministra do Interior Anne Holmlund, em relação ao policial que interrogou o aluno. "Mas a atuação da polícia será analisada."Há diversos vídeos na internet em que Saari aparece atirando. Os mais recentes foram postados, na semana passada, no site de compartilhamento de vídeos YouTube. Em um deles, ele atira bem próximo à câmera e diz: "Você será o próximo a morrer." Em seu perfil no YouTube, ele cita frases como "de repente houve uma guerra e mães gritaram", "a vida toda é uma guerra", "você lutará sozinho em sua guerra pessoal". Em sua lista de vídeos favoritos, estavam gravações sobre o massacre de Columbine, nos EUA, em 1999."Vi um aluno entrando na sala e fechando a porta. Olhei na janela e ele atirou na minha direção, mas fugi e chamei a polícia. Ele andava calmamente, era um atirador frio", disse Jukka Forsberg, funcionário da escola, que tem 150 alunos.Diferentemente de outros estudantes que abriram fogo em escolas, Saari foi descrito pelos colegas como uma pessoa sociável. "Era um cara normal, tinha muitos amigos e se dava bem com todo o mundo", disse a estudante Susanna Keranen. ARMAS E CAÇAO número de portadores de armas na Finlândia está entre os mais altos do mundo, atrás apenas dos EUA e do Iêmen. O número alto é atribuído à caça, muito tradicional no país, já que a taxa de criminalidade é baixa. Um massacre ocorrido em novembro, numa escola de Tuusula, abriu o debate sobre o porte de armas. O governo prometeu aumentar a idade mínima para se comprar armas, 15 anos, mas a lei não foi aprovada. Ontem, o premiê Matti Vanhanen disse que o governo estudará agora o veto ao porte de armas: "Após dois incidentes trágicos, temos de discutir se vamos continuar a permitir que cidadãos comuns tenham armas." CRONOLOGIAA busca por notoriedade aparece como um dos fatores que motivaram ataques de estudantes contra colegas e professores. A divulgação de planos pela internet ou pela mídia tradicional já ocorreu pelo menos outras três vezes. 20/04/1999: Estados Unidos Dois alunos, de 17 e 18 anos, abriram fogo no colégio Columbine, no Colorado. Eles mataram 12 estudantes e um professor antes de cometer suicídio. Os garotos extravasavam seu ódio na internet por não serem populares; um deles tinha um site no qual escrevia planos de vingança 16/04/ 2007: Estados Unidos Um estudante de origem coreana matou 32 pessoas e feriu 15 no câmpus da Universidade Virginia Tech, onde estudava. Ele se suicidou em seguida, mas antes enviou pelo correio para a rede de TV NBC um pacote com 43 fotografias, 27 arquivos de vídeo e 23 páginas de texto mostrando que o crime foi premeditado07/11/2007: Finlândia Algumas horas após divulgar um vídeo na internet anunciando que faria um massacre, um estudante de 18 anos disparou contra colegas e professores em uma escola de Tuusula, deixando 8 mortos. Em seguida, ele se suicidou

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.