Alunos iranianos boicotam aulas contra condenação de professor

Milhares de estudantes universitários e alguns professores boicotaram as aulas nesta segunda-feira, em protesto contra a condenação à morte de um destacado acadêmico, considerado culpado por insulto ao Islã e questionamento aos clérigos conservadores. Alunos enfurecidos da Universidade Tarbiat-e-Modarres, onde Hashem Aghajari lecionava História, saíram às ruas para denunciar o que descreveram como o "veredicto medieval" emitido contra o professor."Vocês podem nos cortar a língua, vocês podem nos prender como fizeram com muitos outros estudantes e acadêmicos, mas vocês não podem capturar nossos corações, não podem evitar nossa liberdade de expressão e pensamento", dizia o líder estudantil Saeed Razavi, para em seguida ser aplaudido por uma multidão.Aghajari, detido desde agosto, foi condenado por insultar o profeta Maomé e questionar a interpretação do Islã feita pelos clérigos conservadores que comandam o Poder Judiciário no Irã. Ele foi informado sobre seu sentenciamento à morte na última quarta-feira.O aiatolá Mahmoud Hashemi Shahroudi, chefe do judiciário iraniano, qualificou as críticas à decisão como "ignorantes", mas lembrou que o veredicto pode ser derrubado em instâncias superiores. Na entrada da universidade, os alunos montaram um poste de madeira com uma corda para simbolizar uma forca. Uma faixa atada a ela dizia: "Seu crime foi revelar a verdade!"

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.