Alvo de críticas, Gonzales defende demissão de procuradores

Com seu emprego em risco, o secretário de Justiça dos Estados Unidos, Alberto Gonzales, disse nesta quinta-feira, 19, que sua decisão para despedir oito procuradores federais foi "justificada e deve ser mantida".Falando a uma cética Comissão Judiciária do Senado, ele admitiu, no entanto, que "pessoas equilibradas podem discordar" dessa decisão. Ele acrescentou que o processo pelo qual os procuradores foram demitidos não foi "de nenhuma forma tão rigoroso ou estruturado como deveria ter sido".A audiência desta quinta-feira deve durar o dia todo. Essa é a primeira vez que o secretário fala sob juramento desde que as demissões provocaram polêmica em fevereiro.Gonzales é acusado de ter operado politicamente para demitir os procuradores, suspeitos de sustentarem posições hostis ao governo de George W. Bush. Apesar dos pedidos para que ele renuncie, o presidente Bush tem defendido seu assessor e amigo pessoal. Mais do que por causa das demissões, o escândalo ganhou força depois que ficou comprovado que o secretário mentiu ao dizer que não havia participado do processo que resultou nas demissões, que segundo ele, foram por razões meramente de desempenho.Oferecendo desculpas para os oito demitidos e seus familiares, Gonzales disse ainda que nunca "procurou enganar o Congresso ou o povo americano".Gonzales começou seu discurso como testemunha depois de um discurso forte do presidente da Comissão Judiciária, o senador democrata Patrick Leahy. "Hoje o Departamento de Justiça vive uma crise de liderança talvez nunca vista em toda a sua história de 137 anos", disse ele. "Há um escândalo crescente girando em torno das demissões."O secretário também não encontrou conforto nas palavras do líder dos republicanos na comissão. Segundo o senador Arlen Specter, o motivo do depoimento é avaliar se a Comissão acredita que Gonzales deve permanecer na chefia do departamento. "Do meu ponto de vista, você vem a essa audiência com uma difícil carga para provar", disse Specter. Ainda segundo o senador republicano, o Gonzales está passando por uma nova audiência de confirmação para o cargo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.