Alvo de e-mails, voluntária recorreu ao FBI

Foi revelada ontem a identidade de mais uma das personagens do escândalo que custou o cargo do diretor da CIA, David Petraeus: Jill Kelley (foto), de 37 anos, uma esbelta mãe de família que, ao receber e-mails com ameaças, buscou o FBI. As mensagens teriam partido de Paula Broadwell, a amante e biógrafa do general.

O Estado de S.Paulo

13 de novembro de 2012 | 02h07

Jill, americana descendente de libaneses, fazia trabalho voluntário na base do Comando Central e de Operações Especiais dos EUA, em Tampa (Flórida), que esteve sob a chefia de Petraeus entre 2008 e 2010.

A natureza da relação entre ela e o ex-diretor da CIA ainda não está clara. Citando fontes anônimas, a imprensa americana noticiou que Jill e seu marido eram amigos do casal Petraeus e frequentavam as recepções familiares oferecidas pelo general. Ontem, a voluntária na base da Flórida divulgou uma nota à imprensa dizendo que sua família e os Petraeus são próximos "há mais de cinco anos" e pedindo "respeito à privacidade" dos envolvidos no escândalo e de seus filhos.

À Fox News, uma fonte militar que trabalhou com o general entre 2008 e 2010 disse duvidar que ele e Jill tivessem um romance. Ela se recusou a conceder entrevistas. / REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.