Alvos de sanções da UE não poderão usar bancos suíços

Genebra, 02/04/2014 - O governo suíço decidiu não adotar as mesmas sanções aplicadas pela União Europeia contra 33 pessoas ligadas à anexação da Crimeia pela Rússia, mas vai impedir esses indivíduos de usar a Suíça para burlar as medidas de suspensão de vistos e o congelamento de ativos. O Conselho Federal Suíço, que inclui o presidente e seis outros ministros, disse que as pessoas sujeitas a sanções da UE não poderão usar "intermediários financeiros" na Suíça para novos negócios.

AE, Agência Estado

02 de abril de 2014 | 15h32

Em nota divulgada na quarta-feira, o conselho salientou que as 33 pessoas não poderão transferir quaisquer ativos que tenham fora da UE para bancos suíços. O conselho disse que o objetivo da medida é "evitar criar a percepção de que o centro financeiro suíço pode se beneficiar das sanções impostas pela UE". Fonte: Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.