Amanda Knox era fiel no amor, diz advogada

A estudante norte-americana Amanda Knox era uma jovem apaixonada quando foi presa pelo assassinato de uma colega de quarto em uma cidade universitária italiana, e não se parecia em nada com a devoradora de homens retratada no tribunal, disse na terça-feira a advogada do ex-namorado dela.

DEE, REUTERS

27 Setembro 2011 | 13h03

A advogada de Raffaele Sollecito relacionou Knox à femme fatale Jessica Rabbit do desenho animado e disse que ela era uma garota boba que mal sabia falar italiano quando foi acusada de ter matado sua colega de quarto britânica. Ela foi sentenciada a 26 anos de prisão.

Knox foi descrita como "diabólica", uma "bruxa" e uma "mulher cruel" durante três dias de audiências sobre uma apelação contra veredictos que a consideraram e a Sollecito culpados do assassinato de Meredith Kercher em 2007 durante uma brincadeira sexual que acabou mal.

"Knox pode ser comparada a Jessica Rabbit", disse Giulia Bongiorno, advogada de Sollecito. "Ela pode aparentar ser uma devoradora de homens. Na verdade, era uma mulher fiel apaixonada."

Jessica Rabbit é uma femme fatale voluptuosa, mas fiel, do filme de 1988 "Uma Cilada para Roger Rabbit", onde diz a famosa frase: "eu não sou má, sou apenas desenhada dessa maneira".

Bongiorno argumentou que não havia evidência ligando seu cliente ao assassinato, dizendo que ele foi implicado no crime apenas porque namorava Knox na época.

O corpo seminu de Kercher, com a garganta cortada e mais de 40 ferimentos, foi encontrado em novembro de 2007 em uma poça de sangue no apartamento que ela dividia com Knox na cidade da Umbria popular entre estrangeiros estudando italiano.

Mais conteúdo sobre:
CRIME AMANDAKNOX*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.