Amanhã, Suíça passa a ser membro das Nações Unidas

A partir de amanhã, a Suíça passa a fazer parte oficialmente da Organização das Nações Unidas (ONU). Apesar de servir de sede para mais de 200 agências internacionais, somente agora os suíços se tornam o 190º membro das Nações Unidas, criada nos anos 40.A decisão de fazer parte da entidade teve que ser aprovada pela população por um plebiscito, ocorrido no início do ano. Apesar da tentativa dos políticos conservadores de evitar que a Suíça entrasse na ONU, a população acabou optando pelo fim do isolamento tradicional do país.A oposição alegava que ao fazer parte da organização, os suíços perderiam uma das características principais de sua política externa: a neutralidade. Além disso, estariam entrando em um clube onde teriam que pagar pela participação, mas onde supostamente não teriam benefícios significativos.Já o governo tentou mostrar à população que, ao fazer parte do sistema internacional, os objetivos da política suíça não seriam prejudicados.Os exemplos da Áustria e da Suécia foram os mais usados para indicarem países que conseguiram manter certa neutralidade, apesar de fazer parte da ONU.A tendência da população por optar pela adesão à ONU acabou gerando um acordo entre o governo e os conservadores. Os partidos pró-neutralidade não forçariam o isolamento da Suíça e, em compensação, o governo não aceleraria o processo de ingressode Berna na União Européia (UE), um tema ainda mais polêmico no país.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.