Amazon retira de catálogo polêmico 'guia para pedófilos'

Autor diz oferecer conselhos para que lei não seja violada; empresa foi ameaçada de boicote

BBC

11 de novembro de 2010 | 12h54

Página do Amazon.com que oferecia o livro para venda.

 

NOVA YORK - O site de vendas Amazon.com retirou de seu catálogo um polêmico guia para pedófilos, que provocou uma ameaça de boicotes à loja virtual.

O autor do livro The Pedophile's Guide to Love and Pleasure: a Child-lover's Code of Conduct (Em tradução livre, O Guia de Pedófilos para o Amor e o Sexo: Um Código de Conduta para Amantes de Crianças), Philip R. Greaves II, argumenta que os pedófilos são mal compreendidos e oferece aconselhamentos para que estes se comportem no âmbito da lei. O livro estava sendo comercializado para ser lido através do Kindle, um leitor de e-books.

A Amazon.com ainda não emitiu um comunicado específico sobre o assunto, mas havia afirmado anteriormente que "é censura não vender certos livros simplesmente porque nós ou outros acreditem que sua mensagem é questionável". "A Amazon não apoia ou promove atos criminosos ou incita o ódio, mas apoiamos o direito de qualquer um decidir sobre suas compras."

A empresa permite que autores comercializem seus próprios livros no site, em troca de parte dos lucros da venda. Mas antes de ter seus livros no catálogo online, os autores têm que confirmar que leram e aceitaram as diretrizes da loja - entre elas, a que proíbe a venda de material considerado ofensivo, embora a Amazon não dê mais especificações complementares. Alguns leitores no Twitter criticaram a empresa e ameaçando boicotá-la.

No passado, a Amazon já se envolveu em polêmica por causa de produtos que vende. Em 2009, suspendeu, após protestos, a venda do game Rape Lay, no qual o protagonista persegue e estupra uma mãe e suas filhas.

 

BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Tudo o que sabemos sobre:
Amazoninternetpedofilia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.