Ameaça de massacre deixa escolas alemãs em alerta

Os colégios e institutos de ensino médio do estado de Baden-Württemberg, no sudoeste da Alemanha, se encontram nesta quarta-feira em alerta para a possibilidade de um adolescente promover um massacre. O próprio Ministério da Educação do estado, em Stuttgart, deu na terça-feira o alarme. Alunos, professores, pais e a polícia foram avisados para ficarem atentos a qualquer circunstância ou pessoa suspeita. Dois estudantes do estado vizinho da Renânia alertaram para o perigo. Um jogador anônimo de um jogo interativo na internet comentou com eles que no dia de São Nicolau, celebrado nesta quarta-feira, provocaria um massacre em sua escola, em Baden-Württemberg. Um porta-voz policial comentou nesta quarta-feira que os agentes "aumentarão as patrulhas, mostrarão sua presença nas escolas e manterão contato permanente com os diretores". Mas reconheceu que não foi possível identificar até agora o autor da ameaça nem o seu colégio. A polícia pediu que os pais levem seus filhos normalmente para as aulas. Os dois estudantes que deram o alarme disseram que o jovem fez as ameaças no extremamente violento jogo interativo "Counter Strike". Ao saber das supostas intenções de massacre, eles procuraram a direção de sua escola e a polícia, que considera a ameaça séria obastante para justificar um alarme. No dia 20 de novembro, um jovem de 18 anos assaltou seu antigo colégio, na localidade alemã de Emsdetten, onde feriu 37 pessoas antes de cometer suicídio. Antes, o jovem, também jogador de "Counter Strike", tinha anunciado pela internet suas intenções. Os estados alemães da Baviera e Baixa Saxônia anunciaram ontem uma iniciativa comum no "Bundesrat", a câmara alta alemã, para um projeto de lei que proíba a venda e distribuição na Alemanha de jogos de computador violentos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.