Ameaça de sanção não intimidará Sudão, diz presidente

O presidente do Sudão, Omar Bashir, declarou hoje que não se acovardará por causa do indiciamento por genocídio pelo Tribunal Penal Internacional (TPI) nem permitirá que isso desvie sua atenção da busca pela paz em Darfur, uma conturbada região do oeste sudanês. Num discurso a simpatizantes em Al-Fasher, a capital de Darfur, Bashir disse que o Sudão não se acovardará diante das ameaças de sanções. O presidente sudanês tentou mostrar-se como um homem de paz e buscou desqualificar a importância do indiciamento, ocorrido no último dia 14. Bashir rotulou a medida do TPI como uma tentativa de frustrar os esforços de seu governo para restaurar a paz em Darfur.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.