Ameaça de Trump de processar mulheres ofusca agenda das eleições americanas

Hillary rejeitou a alegação de Trump, feita sem evidências, de que as mulheres que o acusam estão sendo incentivadas pela campanha da democrata

Associated Press, Gettysburg

23 de outubro de 2016 | 11h41

O candidato republicano à presidência dos Estados Unidos, Donald Trump, está apresentando uma ambiciosa agenda para seus primeiros 100 dias caso seja eleito, mas diz que ainda terá tempo de processar as diversas mulheres que o acusaram de abuso sexual.

"Todas essas mentirosas serão processadas assim que a eleição acabar", afirmou Trump no sábado durante um evento. Ele acrescentou que estava ansioso para poder fazer isso.

Questionada sobre os comentários de Trump, sua adversária Hillary Clinton disse a repórteres que estava cansada de responder ao que o republicano dizia. Afirmou que, com a proximidade das eleições, preferia dar foco a ajudar a eleição de senadores democratas. Por conta disso, Hillary atacou o senador republicano da Pensilvânia Pat Toomey, afirmando que ele se recusou a enfrentar Trump.

Hillary rejeitou ainda a alegação de Trump, feita sem evidências, de que as mulheres que o acusam estão sendo incentivadas pela campanha da democrata. As acusações começaram a surgir depois que uma ex-estrela de um reality show o acusou de tocar as genitais dela sem consentimento. No sábado, uma atriz de filmes adultos afirmou que Trump a beijou sem pedir permissão quando eles se conheceram após um torneio de golfe em 2006.

Trump tem negado todas as acusações, ao mesmo tempo em que insistiu que algumas das mulheres não eram sequer atraentes o suficiente para que ele as desejasse. A fala do candidato contra suas acusadoras no sábado ocorreu no início de um discurso de fôlego no qual ele tentou acenar com várias ideias de políticas que colocou em uma única agenda.

O candidato republicano prometeu retirar restrições para a produção de energia doméstica, acusou a China de manipular o câmbio e prometeu renegociar o Acordo de Livre Comércio da América do Norte (NAFTA).

Ainda assim, qualquer avanço que ele possa ter feito em suas propostas provavelmente será ofuscado pelas ameaças feitas às mulheres que o acusam, mais um exemplo de como Trump tem atropelado sua própria mensagem em momentos inoportunos. Dias antes, no último debate das eleições, seu desempenho estava sendo bem recebido até que ele declarou quase ao final que ele poderia não aceitar o resultado das eleições caso ele perca.

Com o fim dos debates, Trump e Hillary tem poucas oportunidades aparentes para alterar o curso da disputa de forma significativa, uma realidade que beneficia mais a democrata do que o republicano. Hillary tem se mostrado crescentemente mais confiante e, no sábado, voltou a pedir que apoiadores levem sua mensagem para qualquer eleitor de Trump que eles conheçam.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.