Ameaça faz Bruxelas cancelar comemoração

O governo belga suspendeu a tradicional queima de fogos de ano-novo e reforçou a segurança em Bruxelas após a descoberta de um plano para libertar o tunisiano Nizar Trabelsi, suposto membro da Al-Qaeda. Trabelsi cumpre pena de 10 anos por planejar um atentado contra uma base dos EUA na Bélgica. O tunisiano desmentiu qualquer plano para fugir.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.