Ameaça norte-coreana está mais letal, diz secretário dos EUA

Asiáticos dispararam mísseis de curto alcance há uma semana e deixaram nações vizinhas em alerta

Reuters,

21 de outubro de 2009 | 07h24

O secretário de Defesa dos EUA, Robert Gates, disse nesta quarta-feira, 21, durante reunião com seu homólogo sul-coreano, Kim Tae-young, que a Coreia do Norte tornou-se uma ameaça mais letal para a região e que Washington não tolerará armas nucleares no país.

 

Veja também:

especialEspecial: As origens do impasse norte-coreano

especialEspecial: As armas e ambições das potências nucleares

especialLinha do tempo da ameaça nuclear norte-coreana

lista Conheça o arsenal de mísseis norte-coreano

Nas últimas semanas, a Coreia do Norte indicou que pode retornar às negociações internacionais para pôr fim ao seu programa de armas nucleares após provocar tensão na região com um teste atômico em maio e ameaças de atacar a Coreia do Sul.

"O comprometimento de longo prazo da América aqui reconhece que o perigo apresentado pelo regime norte-coreano continua e, de várias formas, tornou-se ainda mais letal e desestabilizador", disse Gates a tropas americanas e sul-coreanas em Seul.

A Coreia do Norte posiciona a maioria dos seus 1,2 milhão de soldados próximos à fronteira com a Coreia do Sul e tem vários mísseis que podem atingir a Coreia do Sul e grande parte do Japão.

O país disparou uma série de mísseis de curto alcance na semana passada e autoridades militares sul-coreanas disseram que os artefatos mostraram maior precisão e alcance que versões anteriores. Analistas afirmam que os disparos foram uma tentativa de Pyongyang de ampliar seu poder de barganha antes das negociações sobre seu programa nuclear.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.