Eugene Hoshiko/AP/Arquivo
Eugene Hoshiko/AP/Arquivo

Ameaçado, dissidente chinês foge para a Alemanha

Poeta e novelista, Liao Yiwu disse ter recebido várias 'visitas' da polícia; ele escapou pelo Vietnã e pela Polônia

AE, Agência Estado

08 de julho de 2011 | 15h00

PEQUIM - Um forte opositor do governo de Pequim, o escritor chinês Liao Yiwu deixou seu país natal e seguiu para a Alemanha, após a polícia ameaçá-lo várias vezes de prisão por seus controversos trabalhos.

 

Veja também:

blog BLOG: 'O Tao da China', da correspondente em Pequim Claudia Trevisan

 

Liao chegou a Berlim há dois dias, no final de uma jornada secreta que incluiu transferências de avião na capital vietnamita, Hanói, e em Varsóvia, na Polônia, disse o escritor em entrevista à AP.

 

"Eu me sinto muito mais relaxado agora que estou em um local onde posso falar e publicar livremente", disse Liao. "Estou de muito bom humor agora". O escritor disse que a polícia o "visitou" várias vezes na China nos últimos meses, fazendo ameaças veladas de prisão caso ele publicasse mais obras no exterior.

 

O escritor, que vivia na província de Sichuan, também foi proibido de deixar a China para participar, em março, de um festival literário na Austrália. Também foi retirado de um avião na cidade de Chengdu, no sudoeste chinês, em fevereiro, quando ia para o maior festival literário da Europa, na Alemanha.

 

Onda de repressão

 

Em fevereiro, Pequim lançou aparentemente a maior onda de repressão em anos, prendendo dezenas de ativistas, advogados e intelectuais. A reportagem tentou entrar em contato com o escritório de imprensa da província de Sichuan, mas os telefonemas não foram atendidos.

 

Liao tem sido monitorado desde que lamentou publicamente os mortos no massacre na Praça da Paz Celestial, ocorridos durante protestos por democracia no país, em 1989. Ele foi condenado a quatro anos de prisão por tratar do assunto em sua obra e em declarações públicas.

 

O escritor disse não ter planos imediatos de retornar à China e pretende trabalhar para ter seus livros publicados. O autor é mais conhecido por sua obra "The Corpse Walker" ("O cadáver ambulante", em tradução literal), uma série de entrevistas com pessoas vivendo à margem da sociedade chinesa, como por exemplo um preso político e um gerente de um banheiro público.

 

As informações são da Associated Press

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.