Americana adota cinco cães famintos do Iraque

Quatro filhotes magros e sua mãe de olhar triste foram enviados do Iraque para uma mulher nos EUA que disse ter se sentido compelida a resgatá-los, depois de vê-los na televisão, sentados no deserto. Marcy Christmas estava radiante quando os filhotes de quatro meses foram retirados do avião de carga da Air France. Eles brincavam entre si e pareciam não estar estressados, nem pela guerra, nem pela viagem. ?Estou tão surpresa quanto vocês?, disse Christmas, que viu os animais num telejornal no dia 10 de abril. A mulher, que já vive com cinco chiuauas, vem resgatando cães há décadas e faz trabalho voluntário para um grupo de proteção ao cachorros. Comovida pela imagem dos filhotes iraquianos, ela primeiro tentou entrar em contato com o repórter autor da matéria e depois descobriu em Amã, na Jordânia, um grupo chamado Centro Humanitário para o Bem-Estar Animal. Então ligou para os fundadores da entidade e pediu ajuda para localizar os cães. O grupo estava mais preocupado com a vida silvestre, mas prometeu se manter atento. No vilarejo de Al Amanieh, o comboio do Centro, que incluía um veterinário e dois militares, encontrou seis filhotes e a mãe, tão fraca que mal se agüentava em pé. Um filhote foi adotado por uma família iraquiana e outro, por um militar. A americana concordou em pagar US$ 1.000 para ter os cães levados para a Califórnia.

Agencia Estado,

08 Julho 2003 | 16h40

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.