Americana condenada no Vietnã por terrorismo é repatriada

Uma americana de origem vietnamita condenada por crime de terrorismo foi repatriada nesta segunda-feira aos Estados Unidos, uma semana antes de o presidente do país, George W. Bush, viajar ao Vietnã para participar do Fórum de Cooperação-Econômica Ásia-Pacífico (Apec). Fontes da Embaixada americana em Hanói informaram que Thuong Nguyen Foshee, de 58 anos, foi libertada no domingo à noite e deixou o Vietnã esta manhã, a bordo de um avião. Por sua vez, a imprensa vietnamita diz que Foshee, estabelecida no estado da Flórida, foi libertada devido a seus problemas de saúde e a uma carta que escreveu pedindo perdão por participar de uma conspiração para derrubar o governo comunista. Foshee, que deixou seu país em 1973, após casar-se com um ex-soldado que serviu na guerra entre os dois países, foi condenada na semana passada a 15 meses de prisão, após confessar que entrou no Vietnã com 14 transmissores de rádio e cinco geradores no início de 2005. A Polícia acredita que era um plano para assumir o controle da rádio oficial do Vietnã e chamar a população a se rebelar contra o Governo. Foshee estava há 14 meses presa quando foi condenada, e acabou libertada dias depois. Às mesmas penas foram condenados outros dois vietnamitas naturalizados americanos, que devem sair em liberdade em meados de dezembro. É o mesmo caso de quatro vietnamitas julgados pela suposta conspiração, mas sentenciados a prisão domiciliar. O Governo acusou os sete de seguir instruções de Nguyen Huu Chanh, qualificado como o "terrorista mais procurado do país" e que atualmente reside no estado americano da Califórnia. Até agora, os EUA rejeitaram o pedido vietnamita de prender e extraditar Chanh, supostamente ligado aos ataques a várias embaixadas americanas no exterior durante o ano 2000.

Agencia Estado,

13 Novembro 2006 | 06h15

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.