Americana pode ser presa por retirar crianças do Haiti

A missionária norte-americana Laura Silsby poderá ser sentenciada a seis meses na prisão, no Haiti, por tentar retirar ilegalmente do país caribenho 33 crianças após o terremoto de 12 de janeiro, afirmaram hoje promotores haitianos. O promotor Sonel Jean François assinalou ao tribunal que Laura sabia que estava infringindo as leis do Haiti. Ele falou após a acusada, natural do Estado de Idaho, ter dado depoimento no primeiro dia do julgamento.

AE-AP, Agência Estado

13 de maio de 2010 | 20h23

Silsby foi acusada de organizar uma viagem ilegal, quando tentou levar as crianças do Haiti a um orfanato na República Dominicana. A missionária está detida desde 29 de janeiro. Outros nove norte-americanos presos com ela foram libertados. A condenação de Silsby seria retroativa à data da detenção. O julgamento será retomado na próxima semana.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.