Americano acusado matar menina para comer o corpo dela

Kevin Ray Underwood, americano de 26 anos acusado de ter assassinado uma menina de 10 para comer o corpo dela, afirmou que é inocente, disseram fontes judiciais. O corpo de O corpo de Jamie Rose Bolin foi encontrado na casa de Kevin, em Purcell, Oklahoma, dentro de uma banheira. Ele foi acusado de assassinato em primeiro grau e a promotoria anunciou que pedirá a pena capital. Em uma audiência preliminar no condado de McClain, o juiz ouviu a afirmação de inocência do acusado e indicou para ele um advogado de defesa. Kevin foi preso na última sexta-feira após chamar a atenção da polícia nas proximidades de um complexo de apartamentos onde vivia, assim como a menina assassinada. Segundo o relatório policial, Kevin confessou o crime para agentes da FBI. "Prendam-me. Está ali. A esquartejei", disse na ocasião. Os agentes entraram no apartamento e encontraram o corpo da menina em uma banheira. Estupro David Tompkins, delegado do condado, afirmou que existe a suspeita de que Kevin estuprou a menina após assassiná-la e que planejava comer o corpo. "Parece ter sido parte de um plano para seqüestrar uma pessoa, estuprá-la, torturá-la, decapitá-la, extrair o sangue, comer o corpo e depois eliminar os ossos", declarou o delegado. Segundo as fontes judiciais, Kevin tinha ferramentas de açougueiro no apartamento, tais como serras, facas e uma tábua de cortar carne. No apartamento a polícia também apreendeu um computador e um vídeo sobre assassinatos em série. O acusado carregava um diário escrito a partir de 2002, no qual afirma estar deprimido e em várias ocasiões menciona o canibalismo, disseram as fontes. "Isto não parece ser um crime de ímpeto, mas um ato premeditado, com meses de planejamento e preparação", disse o promotor Tim Kuykendall. A mãe de Kevin disse à imprensa que não acredita na veracidade das acusações. "Isto é algo que não sei de onde veio. Ele sempre foi um menino maravilhoso", declarou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.