Americano condenado a 21 meses por assassinato no Iraque

Um soldado norte-americano acusado pelo seqüestro e assassinato de um iraquiano, com quem ele forjou encontrar uma arma para que o cidadão parecesse um insurgente, foi condenado a 21 meses de prisão, após se declarar culpado. De acordo com a Reuters, Jerry Shumate é um dos oito marines acusados de assassinar a balas, em abril deste ano, o iraquiano Hashim Ibrahim Awad, de 52 anos, na cidade iraquiana de Hamdania. A declaração de Shumate durante uma audiência em Camp Pendleton, na Califórnia, foi recebida como parte de um acordo entre os promotores e os militares, que aceitaram declarar-se culpados e receber penas brandas por parte do Exército americano. Com a confissão de Shumate, de 21 anos, o militar se tornou no quarto a se declarar culpado. Todos receberam penas pequenas, entre um ano e 21 meses de custódia. Os soldados são acusados de pegar o iraquiano na sua própria casa, disparar contra ele e plantar um rifle junto ao cadáver, para que parecesse que o homem fosse um insurgente combatendo a ocupação americana no Iraque. O assassinato foi parte de uma série de condutas da tropa norte-americana contestada e afetou a imagem de Washington no exterior. Outros marines estão sendo investigados em um incidente de novembro de 2005, quando 24 civis morreram na cidade iraquiana de Haditha.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.