Americano condenado por estupro continuará preso

Um tribunal de Makati, distrito financeiro de Manila, rejeitou nesta quarta-feira o pedido da Embaixada dos Estados Unidos, que queria assumir a custódia de Daniel Smith, o cabo americano condenado à prisão perpétua por estuprar uma filipina.O juiz Benjamin Pozon desprezou o argumento da Embaixada, baseado no Acordo de Forças Visitantes, segundo o qual um militar americano que cometa um crime nas Filipinas deve permanecer sob custódia de seu país até o fim do processo legal.Smith, de 21 anos, permanecerá na prisão de Makati, onde está desde a semana passada, embora a Embaixada tenha apelado da sentença.O militar foi declarado culpado de estuprar uma jovem filipina há um ano, aproveitando que ela estava bêbada.Outros três acusados do mesmo caso, que supostamente encorajaram o colega, foram absolvidos da acusação de cumplicidade no crime por falta de provas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.