Americano e 2 japoneses vencem Nobel de Física

Os japoneses Makoto Kobayashi e Toshihide Maskawa e o norte-americano de ascendência japonesa Yoichiro Nambu dividiram hoje o prêmio Nobel de Física de 2008. A distinção consagrou estudos relacionados à ruptura da simetria na física subatômica. A Real Academia Sueca anunciou que Nambu, pesquisador da Universidade de Chicago, foi agraciado com a metade do prêmio, pela descoberta do mecanismo chamado ruptura espontânea da simetria na física subatômica.Kobayashi e Maskawa dividem a outra metade do prêmio, por encontrarem a origem da ruptura da simetria que prediz a existência de pelo menos três famílias de quarks na natureza. Os quarks são partículas elementares da matéria. "A ruptura espontânea da simetria oculta a ordem da natureza sob uma superfície aparentemente caótica", afirmou a academia em sua explicação sobre o prêmio. "As teorias de Nambu perpassam o modelo básico da física das partículas elementares. O modelo unifica os menores blocos fundamentais de todos os tipos e três das quatro forças da natureza em apenas uma teoria."Kobayashi e Maskawa "explicaram a ruptura da simetria dentro do marco do modelo padrão, mas obrigaram o modelo a ser ampliado para três famílias de quarks". A academia apontou que apenas nos últimos anos cientistas puderam confirmar as previsões feitas pelos dois cientistas em 1972. O prêmio inclui 10 milhões de coroas (US$ 1,4 milhão), um diploma e uma medalha de ouro. A entrega dos prêmios ocorre em 10 de dezembro, em Estocolmo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.