Americano é acusado de cooperar com a Al-Qaeda

Um tribunal aceitou nesta quinta-feira, 12, as acusações apresentadas contra o americano Christopher Paul, que agora responderá na Justiça por ter cooperado com a organização terrorista Al-Qaeda num plano para a detonação de bombas em pontos turísticos da Europa e em instalações militares dos Estados Unidos.Paul, de 43 anos, foi detido em junho de 2004, durante uma operação em Columbus (Ohio) também permitiu a detenção de outros dois supostos terroristas.Segundo documentos apresentados ao tribunal, o acusado, que está na prisão do condado Franklin e cujo nome de batismo é Paul Kenyatta Laws, mudou seu nome legal para Abdulmalek Kenyatta, em 1989, e para Christopher Paul, em 1994.A acusação alega que, no início da década 90, Paul recebeu treinamento militar da Al-Qaeda e se comprometeu com membros da organização no Paquistão e no Afeganistão a cometer atos de violência política.O americano responderá às acusações de apoio material a terroristas, conspiração para dar apoio material a terroristas e conspiração para o uso de uma arma de destruição em massa.Outros documentos judiciais indicam que Paul, junto com outros indivíduos, viajou até a Alemanha em abril de 1999 para receber treinamento no uso de explosivos.Os planos pelos quais ele é acusado incluíam ataques a pontos turísticos da Europa e dos Estados Unidos freqüentados por turistas americanos.Os outros dois homens detidos durante a investigação na cidade de Ohio são Iyman Faris, condenado em 2003 a 20 anos de prisão por planejar um ataque com explosivos na ponte do Brooklyn (Nova York), e Nuradin Badi, que aguarda julgamento por planejar um ataque contra um shopping de Columbus.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.