Americano é sentenciado por seqüestro de menina inglesa

Um americano, que declarou-se culpadopelo seqüestro de uma menina britânica de 12 anos que conheceupela internet, foi sentenciado a quatro anos e meio de prisãonesta sexta-feira. Toby Studabaker, de 33 anos, declarou-se culpado em fevereiroem audiência na Corte da Coroa de Manchester, no norte daInglaterra, admitindo acusações de seqüestro e atentado aopudor. Studabaker - um ex-fuzileiro naval americano que segundo ospromotores levou a menina para a França e para a Alemanha depoisde viajar à Inglaterra para conhecê-la - foi extraditado daAlemanha para a Grã-Bretanha em agosto. Ele foi detido em 16 dejulho em Frankfurt. Perante uma corte da cidade alemã, ele disse não ter mantidorelações sexuais com a menina, cuja identidade não pode serrevelada por questões legais. De acordo com Studabaker, nasconversas pela internet a menina dizia ter 18 anos e ele sópercebeu que ela era menor de idade quando a encontrou. Ele foi detido no centro de Frankfurt quando estava a caminhodo Consulado dos Estados Unidos para se entregar. Horas antes, amenina voltou para a Inglaterra a bordo de um avião que saiu deStuttgart, no sul da Alemanha. Studabaker declarou-se inocente da acusação de seqüestro aocomparecer em novembro de 2003 perante da Corte da Coroa deManchester, mas em fevereiro declarou-se culpado. A promotora Beverley Lunt disse numa audiência anterior queele cortejou sua vítima para que ela não se recusasse a manterrelações sexuais. Na primeira noite em que passaram juntos em um hotel de Paris,em 12 de julho, eles dormiram em camas separadas. No diaseguinte, entretanto, eles beberam vodca e passaram a noite sebeijando. "Mais tarde, eles acordaram e começaram a se beijar novamente.Depois, houve intercurso sexual na cama dela." Também existe um processo em andamento contra Studabaker emMichigan, nos EUA, onde morava. O indiciamento inclui acusaçõesde levar uma criança ao exterior para exploração sexual,exploração sexual de menor em um país estrangeiro e uso daInternet para incitar uma criança a engajar-se em atividadesexual criminosa. Na corte federal americana, ele também éacusado de agredi-la sexualmente em Paris.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.