Americano morre e japonês desaparece no monte Fuji

Alpinistas se perderam do restante do grupo e morreram quando desciam do topo da montanha

Efe

24 de julho de 2009 | 01h46

Um alpinista americano de 30 anos e residente em Tóquio foi encontrado morto perto do cume do Monte Fuji, na província japonesa de Shizuoka, enquanto um colega japonês com o qual subia a montanha ainda está desaparecido, informa a edição desta sexta-feira, 24, do jornal "Mainichi".

 

Os dois alpinistas subiram no sábado os 3.776 metros deste vulcão, um dos maiores do mundo e o ponto mais alto do arquipélago japonês, junto com outros excursionistas, mas se perderam no domingo de manhã, quando desciam o Monte Fuji. As causas para ambos terem se separado do restant do grupo ainda não foram esclarecidas.

 

Em princípio, a escalada do vulcão durante os meses de verão no Japão é possível para qualquer pessoa que esteja razoavelmente em forma. A maneira mais comum de escalar o monte é subir durante a madrugada para observar o amanhecer do cume do vulcão.

Tudo o que sabemos sobre:
alpinismomonte FujiJapão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.