Reuters
Reuters

Americano preso em Mianmar por visitar ativista será libertado

John Yettaw havia sido condenado a 7 anos de trabalho forçado por nadar até a casa da líder da oposição

Das agências internacionais,

15 de agosto de 2009 | 11h08

O governo militar de Mianmar vai expulsar do país neste domingo (16) o cidadão norte-americano que cruzou um lago a nado para chegar à casa da líder da oposição e vencedora do Nobel da Paz Aung San Suu Kyi. John Yettaw havia sido condenado a sete anos de trabalhos forçados, e Suu Kyi - que não havia convidado o americano -, a 18 meses de prisão domiciliar.

 

Veja também:

lista Perfil: Aung San Suu Kyi é símbolo de resistência pacífica 

 

A libertação de Yettaw foi comunicada pelo senador democrata Jim Webb, que chegou ao país na sexta-feira e hoje se encontrou com Suu Kyi. Foi um raro encontro entre um representante estrangeiro e a mulher de 64 anos que se tornou ícone da luta pela democratização do país. A reunião aconteceu sob vigilância do governo e durou 40 minutos.

 

O senador democrata também se encontrou com o chefe da junta militar, o general Than Shwe. Foi a primeira reunião do general com um representante norte-americano e a primeira visita de um congressista em mais de 10 anos. A iniciativa, que teve o apoio do presidente Barack Obama, foi criticada por ativistas, para quem o ato legitima o governo militar.

 

Tradicionalmente, o governo norte-americano tem sido um crítico constante do regime militar em Mianmar, em vigor desde 1962, mas o embaixador para o Leste Asiático Kurt Campbell afirmou recentemente que Obama pretende romper com o isolamento do país.m Washington. Webb deve deixar o país amanhã, acompanhado do norte-americano libertado.

Tudo o que sabemos sobre:
MianmarSuu Kyi

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.