Americano que 'filmou alvos' nos EUA para extremistas é condenado

Homem de 23 anos teria enviado imagens de Washington para planejar atentados.

BBC Brasil, BBC

12 de agosto de 2009 | 19h09

Um júri federal dos Estados Unidos condenou, nesta quarta-feira, um cidadão americano por "apoio ao terrorismo", depois de ele ter filmado pontos importantes da capital, Washington, e enviado as gravações para militantes extremistas no exterior, informou o Departamento de Justiça dos EUA.

Depois de sete dias de julgamento na cidade de Atlanta, Ehsanul Islam Sadequee, de 23 anos, foi considerado culpado de conspiração para dar apoio material a militantes da organização extremista paquistanesa Lashkar-e-Taiba, considerada um grupo terrorista pelo governo dos EUA.

Sadequee, que negou as acusações, pode agora ser condenado a uma sentença de até 60 anos de prisão.

Nascido nos Estados Unidos, Sadequee estudou em escolas no Canadá e em Bangladesh.

De acordo com a promotoria, em 2001, enquanto ainda vivia em Bangladesh, Sadequee teria enviado um e-mail por meio do qual se candidatava a entrar no Talebã para "ajudá-los a lutar contra as forças americanas e da coalizão no Afeganistão".

Alvos

Anos depois, de volta aos EUA, ele teria feito um acordo com extremistas para auxiliá-los enviando pequenos vídeos com imagens de locais simbólicos da capital americana para potenciais atentados.

Entre os alvos que teriam sido filmados por Sadequee estariam o Capitólio, sede do legislativo dos EUA, a sede do Banco Mundial e uma loja maçônica.

O americano também foi acusado de ter utilizado a internet para entrar em contato com outros extremistas islâmicos nos EUA, Canadá, Grã-Bretanha, Paquistão e Bósnia.

Ele foi preso em abril de 2006 pelo FBI em Bangladesh.

Após o julgamento, o promotor David E. Nahmias, afirmou que o caso "é um lembrete de que o terrorismo e seus apoiadores não estão confinados aos campos de batalha no Iraque e no Afeganistão (...), Mas há ainda alguns cidadãos americanos que querem pegar em armas contra os EUA, seu povo, aliados e interesses". BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.