Americano receberá US$ 40 milhões após passar 16 anos preso injustamente

Jeffrey Deskovic foi coagido a confessar que estuprou e matou colega de classe em 1989

O Estado de S. Paulo

23 de outubro de 2014 | 20h24

Nova York - Um juri americano autorizou, na noite desta quinta-feira, 23, o pagamento de uma indenização de US$ 40 milhões a um homem que passou 16 anos preso acusado de um crime que ele não cometeu. 

Segundo o site de notícias News12, Jeffrey Deskovic processou o ex-detetive do Condado de Putnam Daniel Stephens, em Nova York, por coagi-lo a confessar ter estuprado e matado Angela Correa, sua colega de sala no ensino médio, em 1989. 

Deskovic foi considerado inocente do crime após evidências de DNA provarem que o estuprador era outro homem. Não estava claro quando ele receberá a indenização. 

Tudo o que sabemos sobre:
EUAindenizaçãoDeskovic

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.