Americanos criticam excesso de escândalos no noticiário-pesquisa

Por Paul J. Gough NOVA YORK (Hollywood Reporter) - Os americanos culpam amídia pela saturação da cobertura de celebridades na televisão. Uma pesquisa realizada pelo Centro Pew de Pesquisas para aPopulação e a Imprensa revelou na quinta-feira que 87 por centodos entrevistados acham que os escândalos envolvendocelebridades recebem cobertura excessiva na imprensa impressa,televisão e rádio. Apenas 8 por cento consideram que a mídia encontrou o pontocorreto de equilíbrio entre notícias sérias e notíciasenvolvendo celebridades, e 2 por cento disseram que a coberturados escândalos com celebridades é insuficiente. Escândalos a serem divulgados são algo que não vem faltandoem 2007, desde a morte de Anna Nicole Smith e a subsequentebriga pela guarda de sua filha bebê até a saga da prisão dasocialite Paris Hilton. Apesar das guerras em curso no Iraque e Afeganistão e dacampanha presidencial que já está em curso, as notícias sobrecelebridades com frequência dominam o noticiário. O Centro Pew constatou que na época da morte de Anna NicoleSmith, 24 por cento das notícias veiculadas diziam respeito aela, e no início de junho 12 por cento dos americanos disseramque a prisão de Paris Hilton foi a notícia que maisacompanharam durante a semana. A pesquisa constatou que, na opinião de 34 por cento dosentrevistados, os canais de jornalismo a cabo são os que fazema maior cobertura de celebridades, seguidos pelos jornais da TVaberta (para 27 por cento dos entrevistados), os sites denotícias na Internet (15 por cento) e os jornais impressos (8por cento). Mas, segundo o Pew, notícias desse tipo envolvendocelebridades não lideraram a lista dos tópicos maisacompanhados na semana passada. Vinte e cinco por cento dosentrevistados disseram estar acompanhando mais de perto aguerra do Iraque, apesar de apenas 3 por cento da coberturajornalística ter sido dedicada ao assunto. A campanha presidencial foi apontada por 12 por cento dosentrevistados e recebeu 12 por cento da cobertura da mídia.Também figuraram na lista dos tópicos mais acompanhados a mortede uma mãe e seus dois filhos em Cheshire, Connecticutt, nainvasão de sua casa, a política com relação ao Iraque, a bolsade valores e a saga do secretário de Justiça Alberto Gonzalez. Outros temas que suscitaram interesse foram as declaraçõesdo zagueiro Michael Vick sobre seu envolvimento em brigas decães, a controvérsia sobre o recorde de "home runs" do jogadordo Giants Barry Bonds e o escândalo da NBA envolvendo umárbitro que fez apostas com partidas. A pesquisa entrevistou 1.027 adultos entre os dias 22 e 27de junho.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.