Americanos desafiam o frio para se despedir de Gerald Ford

Atraídos por uma mistura de curiosidade e respeito, milhares de americanos desfilaram neste domingo, 31, diante do caixão do ex-presidente dos Estados Unidos Gerald Ford para render-lhe sua última homenagem, apesar do frio em Washington.Daniel Blauw, que da mesma forma que Ford é de Grand Rapids (Michigan), sintetizou para a agência de notícias EFE o sentimento generalizado entre os que esperavam até duas horas para chegar ao caixão: "Ele era um homem normal, um dos nossos." O velório de Ford acontecia na rotunda do Capitólio, bem debaixo da cúpula da sede do legislativo americano.Para entrar lá, um rígido sistema de segurança assegurava que os visitantes não levassem artigos como câmeras, telefones celulares ou flores.Longe da pompa que acompanha funerais de Estado, os atos em homenagem a Ford estão marcados pela mesma singeleza que o ex-presidente quis mostrar durante sua vida.Talvez por essa razão, na fila para entrar no Capitólio os visitantes lembravam com respeito, mas sem devoção a figura de Ford, marcada sobretudo por seu indulto ao presidente Richard Nixon depois do escândalo Watergate."Com a passagem do tempo, sua imagem se tornou mais positiva. No entanto, o perdão a Nixon não foi bem-visto. Por isso, agora é um bom momento para se vir aqui e refletir sobre nosso passado", disse à EFE Diana Bauer.Usando um gorro de lã e luvas, Bauer empurrava sua filha Tracy em uma cadeirinha, já que, da mesma forma que muitos dos pacientes cidadãos que queriam se despedir de Ford, tinha ido ao lugar junto com a família.A presença de crianças passeando entre os policiais que vigiavam a área dava um toque quase festivo à cerimônia, que carecia da gravidade e emotividade que presidiram, por exemplo, os funerais do presidente Ronald Reagan há dois anos e meio.Muitos dos presentes confessaram se sentir mais atraídos pela ocasião de viver um momento histórico que pela morte de Ford."Ford fez muitas coisas boas por este país, mas sua decisão de indultar Nixon fez ele perder as eleições (de 1976, contra o democrata Jimmy Carter)", assegurou Darryl Jones ao lembrar a figura do ex-presidente enquanto tomava um chocolate quente. Ford faleceu na terça-feira aos 93 anos de idade em seu rancho Mirage, no povoado de Palm Desert, na Califórnia.Após um funeral privado para sua família e os mais íntimos, o corpo foi trasladado em um Boeing 747 fretado pelo governo até Washington, onde no sábado recebeu seu primeiro funeral de Estado no Capitólio.O segundo, no qual já estará presente o presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, acontecerá na próxima terça-feira na Catedral Nacional, em Washington, embora Bush já tenha anunciado que na segunda-feira mesmo irá ao velório na volta de suas férias em Crawford, no Texas.Após a cerimônia, os restos de Ford vão de avião para Grand Rapids, a localidade que o político sempre considerou como sua cidade e onde será enterrado em seu museu como ele mesmo pediu antes de morrer.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.