Americanos enfrentam problemas com urnas eletrônicas

As urnas eletrônicas começaram a causar problemas assim que a votação nos Estados Unidos começou, nesta terça-feira, fazendo com que dezenas de eleitores de seções dos Estados de Indiana e Ohio e algumas na Flórida tivessem que votar com cédulas de papel.Em Cleveland, alguns eleitores encararam a novidade das urnas eletrônicas sem saber como votar de maneira correta."Temos cinco máquinas, uma delas tem de funcionar", afirmou Willett Scullank, mesário responsável por solucionar eventuais problemas em uma seção do município de Cuyahoga, no Ohio.Nas eleições desta terça-feira os norte-americanos vão renovar os 435 membros da Câmara dos Representantes e um terço das cadeiras do Senado, além de escolherem 36 governadores.Em Delaware, município no Estado de Indiana, autoridades eleitorais pretendem estender o período de votação depois que um erro nas máquinas fez com que centenas de eleitores não conseguisse registrar o voto na urna eletrônica e precisassem recorrer às cédulas antigas.Karen Wenger, mesário de uma seção de Delaware afirmou que os cartões responsáveis por ativar as urnas estavam programados de maneira errada.Com um terço dos americanos votando nos novos equipamentos e eleitores encarando novas bases de dados de registro e mudanças em algumas regras, os observadores estavam preocupados com os problemas antes mesmo das eleições começarem.O bom andamento das eleições legislativas desta terça-feira é considerado importante, principalmente depois do caos registrado na Flórida durante o pleito de 2000. Em 2002, durante uma conferência para discutir maneiras de melhorar as votações no país, os Estados decidiram substituir os equipamentos utilizados, estabelecer novos registros estaduais para os eleitores, melhorar o sistema de identificação do eleitorado e permitir que votos provisórios sejam feitos caso as máquinas apresentem algum problema."Não temos uma eleição com tantas mudanças há décadas", afirmou Wendy Weiser, advogado do Centro Brennan de Justiça da Universidade de Nova York.Os pequenos problemas podem interferir no resultado das eleições desta terça-feira já que a participação na votação para o Congresso é menor do que nas eleições presidenciais.De acordo com o Serviço de Informação Eleitoral, uma empresa de consultoria de Washington, 32% do eleitorado estava votando com equipamentos utilizados desde as eleições de 2004.Aproximadamente metade do eleitorado está usando um sistema de scanner ótico para preencher a cédula eletrônica presente nos computadores. As máquinas com sistemas de toque são usadas por 38% dos eleitores, mas são consideradas mais suscetíveis às ações dos hackers. Entretanto, especialistas que as duas máquinas podem apresentar problemas.Os mesários também podem não estar treinados o suficiente para enfrentar situações inesperadas, o que pode causar ainda mais problemas - o que o americanos estão descobrindo durante esta terça-feira.Os fornecedores das urnas eletrônicas afirmaram ter feito centenas de testes especiais e afirmaram que qualquer problema poderá ser enfrentado. "Teremos problemas isolados pelo país. Mas isso faz parte de qualquer processo eleitoral", afirmou Michelle Shafer, porta-voz da empresa Sequóia Voting Systems. "Apesar disso, acreditamos que as coisas transcorrerão muito bem".Esta matéria foi alterada às 15h03 para acréscimo de informações.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.