Americanos preparam protestos contra a guerra

Entidades de vários pontos dos EUA, contrárias a um ataque ao Iraque, convocaram para sábado uma manifestação gigante em Washington, que consideram "a última oportunidade" para impedir a guerra. O objetivo é circundar a Casa Branca e o Departamento de Justiça com "um mar de gente", disseram os promotores.Outras marchas ocorrerão em Los Angeles e San Francisco. No mesmo dia haverá protestos nas principais capitais do mundo, desde a Europa até o Extremo Oriente. Mais de 6 milhões de pessoas em todos os continentes participaram, em 15 de fevereiro, de protestos contra a guerra.Na capital paulista, o Comitê São Paulo contra a Guerra ao Iraque, coalizão de mais de cem entidades, marcou uma concentração sábado, às 15 horas, diante do Museu de Arte de São Paulo, na Avenida Paulista, seguida de passeata até o Parque do Ibirapuera.A coalizão de entidades dos EUA contra a guerra espera, em Washington, dezenas de milhares de pessoas de mais de cem cidades do país. "Sábado pode ser a última chance que o povo americano terá para levantar-se e dizer ´Não´", disse Ramsey Clark, ex-promotor que representa uma coalizão pacifista.O governo americano queria dar um ultimato para o Iraque desarmar-se até o dia 17, mas adiou o prazo por causa da dificuldade de obter apoio na ONU. No entanto, as autoridades indicam não querer esperar mais do que alguns dias para lançar um ataque.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.