Americanos reforçam segurança contra atentados no fim de ano

Diante do temor de atentados da Al-Qaeda durante as festas de fim de ano, o governo americano anunciou ontem um amplo reforço das medidas de segurança. As iniciativas têm como foco principal o transporte aéreo e ferroviário, de carga e de passageiros, conforme enfatizou o assessor da Casa Branca para contraterrorismo, John Brennan.

, O Estado de S.Paulo

23 de dezembro de 2010 | 00h00

O anúncio teve como objetivo secundário afastar dúvidas sobre o trabalho na área de segurança interna. Na segunda-feira, o diretor de Inteligência Nacional, James Clapper, soube da prisão de 12 suspeitos de planejar um atentado terrorista em Londres muitas horas depois.

"Estamos preocupados com os planos da Al-Qaeda. O Departamento de Estado emitiu uma nota à Europa sobre os planos da Al-Qaeda de tentar lançar ataques lá. Nós não limitamos nosso foco a uma área geográfica", afirmou Brennan.

Brennan insistiu que a cooperação entre EUA e outros países tem sido essencial e será reforçada. Atribuiu a falha de Clapper a sua preocupação com outros temas prioritários para a Casa Branca e ao fato de não ter sido avisado por sua equipe. Agora, além da maior cooperação entre FBI e Pentágono, serão tomadas medidas para refinar a análise de casos suspeitos e reformados os procedimentos de segurança em aeroportos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.