Amigos e inimigos de Chávez contam com visita de Lula

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva está sendo esperado na Venezuela com entusiasmo tanto por correligionários do presidente Hugo Chávez como por aqueles que querem depô-lo desde o final do ano passado por meio de um referendo revogatório, previsto na Constituição venezuelana. Lula, que desembarca por volta da meia-noite desta segunda-feira em Caracas, terá uma agenda apertadíssima na terça-feira junto com Chávez na capital venezuelana e em Puerto Ordaz, a 500 quilômetros de Caracas, onde visitarão as obras da segunda ponte sobre o Rio Orinoco. "Em Lima, onde se encontrou com o presidente peruano, Alejandro Toledo, Lula declarou que pretende discutir o tema do referendo revogatório com Chávez porque existe um compromisso do Grupo de Amigos de Venezuela (Chile, Espanha, Estados Unidos, México e Portugal, além do Brasil) para encontrar uma solução pacífica e democrática entre o governo venezuelano e a oposição, sem a interferência desse ou daquele país", informam hoje sites de alguns jornais venezuelanos. Isso significa que a oposição venezuelana vê na visita de Lula como uma grande oportunidade para pedir que o Brasil convoque de imediato o Grupo de Amigos para pressionar a rápida realização do referendo revogatório. Os líderes da oposição entendem que o presidente brasileiro apóia o referendo pelo qual o povo venezuelano poderá decidir se mantém ou não o presidente Chávez no poder por mais três anos. Lula deu a entender em Lima, no entanto, que o referendo previsto na Constituição pode ser realizado sempre e quando seja conduzido de forma legal e transparente. Vale lembrar que, no início deste ano, os antichavistas, principalmente, realizaram uma série de marchas e manifestações em frente à Embaixada brasileira em Caracas repudiando o apoio que Lula vinha dando a Chávez, com quem já se reuniu cinco vezes em apenas oito meses de governo. As manifestações de protesto contra o Brasil, no entanto, acabaram sendo minimizadas porque o presidente brasileiro mostrou que o País não estava interferindo nos problemas venezuelanos. O ministro de Relações Exteriores da Venezuela, Roy Chaderton, declarou em Caracas que a visita de Lula é extremamente representativa para a Venezuela, já que o Brasil, de acordo com ele, joga um papel importantíssimo nas expectativas internacionais da América Latina.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.