Amnésia política explica sucesso de García

O Peru acaba de realizar suas primeiras eleições livres depois de 11 anos com um repúdio sumário a tudo o que o regime anterior encarnou. O candidato presidencial e os integrantes das listas parlamentares que defendiam o legado autoritário e cleptomaníaco de Alberto Fujimori e Vladimiro Montesinos se desintegraram nas urnas, conseguindo porcentuais insignificantes, pouco superiores a 1% do total. Que melhor prova da fraude colossal com que a ditadura pretendeu arrebatar a vitória do candidato da oposição, AlejandroToledo, nas eleições de abril do ano passado? Como nenhum dos aspirantes à presidência conseguiu a metade mais um dos votos válidos, haverá um segundo turno, na terceira semana de maio, entre Toledo e Alan García, o ex-presidente aprista (1985-1990), a grande surpresa desta disputa eleitoral.Leia mais no site do Estado

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.