Amorim: Brasil irá trabalhar ´muito bem´ com Correa

O governo brasileiro anunciou, nesta segunda-feira, que espera trabalhar "muito bem" com o esquerdista Rafael Correa, que está prestes a vencer a disputa pela presidência do Equador, segundo a agência de notícias Reuters. Com 43,6% das urnas do segundo turno apuradas, Correa estava com 68,16% dos votos válidos, contra 31,5% do seu rival, o multimilionário Alvaro Noboa. "Aparentemente, ao que indica, o candidato Correa ganhou. Tenho certeza que trabalharemos muito bem com ele", disse à Reuters o ministro das Relações Exteriores do Brasil, Celso Amorim. "O mais importante é que o processo democrático seja respeitado", completou. Os equatorianos foram às urnas no domingo, e a apuração oficial deve ser finalizada até a próxima quarta-feira. Ao que parece, a população quer a mudança radical prometida por Correa, que promete governar para os muitos pobres do país, e representar as mulheres e grupos indígenas. Nos últimos dez anos, o Equador teve oito presidentes. Correa, seguidor do presidente da Venezuela, Hugo Chávez, declarou que não será influenciado pelo venezuelano, e que vai tentar ser mais amigável com todos os países da América Latina e com os Estados Unidos.

Agencia Estado,

27 Novembro 2006 | 15h50

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.