Amorim: demora para retorno de Zelaya preocupa Brasil

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse hoje ao presidente deposto de Honduras, Manuel Zelaya, que a sua recondução ao poder tem de ser feita de forma rápida. "Nos preocupa a demora", afirmou o ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, após a audiência entre Lula e Zelaya. Ele disse que o presidente brasileiro se dispôs a falar no momento oportuno com seu colega dos Estados Unidos, Barack Obama, sobre o assunto.

MARIÂNGELA GALLUCCI, Agencia Estado

12 de agosto de 2009 | 20h11

Segundo Amorim, quando mais o tempo passa, fica mais enfraquecida a capacidade da legitimação das eleições, marcadas para novembro. "Isso é ruim para a democracia. Então é preciso que não só o presidente Zelaya volte, mas que volte rápido", disse Amorim. O presidente deposto embarca amanhã para o Chile e disse que recebeu um convite para visitar a secretária de Estado norte-americana, Hilary Clinton.

Tudo o que sabemos sobre:
HondurasManuel ZelayaLulaCelso Amorim

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.