Amorim: 'Kirchner defendeu democracia no continente'

O Ministério das Relações Exteriores (MRE) do Brasil divulgou nota hoje lamentando a morte do ex-presidente da Argentina Néstor Kirchner. A nota "Presidência pro tempore do Mercosul lamenta o falecimento do ex-Presidente Néstor Kirchner" destaca "a mais profunda consternação pelo falecimento do ex-Presidente da Nação argentina e Secretário-Geral da Unasul, União de Nações Sul-Americanas". Também foi divulgada pelo Itamaraty a "Mensagem do Ministro Celso Amorim ao Chanceler argentino Héctor Timerman pelo falecimento do Secretário-Geral da Unasul e ex-Presidente Néstor Kirchner".

EQUIPE AE, Agência Estado

27 de outubro de 2010 | 17h01

Segundo o primeiro texto, "os anos em que esteve à frente do Executivo em seu país coincidiram com uma renovação do Mercosul rumo a um processo de integração marcado pela solidariedade e pela justiça social". No segundo texto, Amorim diz que "Como Secretário-Geral da Unasul, Néstor Kirchner promoveu habilmente a conciliação e a defesa da democracia em nosso continente".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.