Amorim nega disputa com EUA por comando no Haiti

O ministro das Relações Exteriores Celso Amorim afirmou hoje que são "imposições mesquinhas" as notícias sobre rivalidades entre Brasil e Estados Unidos para assumir o comando do auxílio ao Haiti. Amorim embarca amanhã para o Haiti, e depois seguirá para o Canadá, onde participará de uma reunião dos países que integram a missão de Paz da ONU.

LUCIANA NUNES LEAL, Agencia Estado

21 de janeiro de 2010 | 13h52

"Em uma situação destas, percalços sempre existem no começo, mas não há rivalidade alguma. Vou viajar amanhã para o Haiti, e lá verei de perto como está a situação", afirmou o ministro.

Amorim disse esperar que o Congresso brasileiro aprove o mais rápido possível o aumento do efetivo do Brasil na missão de paz da ONU no Haiti, com o envio de até mais 1.300 militares.

O ministro participou hoje de cerimônia, no Palácio do Itamaraty no Rio, em homenagem a Luiz Carlos da Costa, funcionário da ONU morto no terremoto ocorrido no Haiti na semana passada.

Tudo o que sabemos sobre:
HaititerremotoCelso Amorimtropas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.