Amorim sinaliza papel de mediação para a paz entre Síria e Israel

Chanceler rechaça o rótulo de 'mediador', mas diz Brasil que pode estar contribuindo na questão

LUCIANA XAVIER, Agência Estado

27 de setembro de 2010 | 19h31

O ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, indicou nesta segunda-feira, 27, que o Brasil está mediando o processo de paz entre a Síria e Israel, após encontro com o ministro das Relações Exteriores da Turquia, Ahmet Davutoglu, atual presidente do Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU).

Ele lembrou que tem tratado da questão em visitas recentes aos dois países, mas evitou o rótulo do País como mediador.

 

Amorim disse que não daria detalhes sobre o tema, pois "depois o jornal vai dizer que Brasil quer ser mediador", mas admitiu que o "Brasil está disposto a ajudar no que puder ajudar".

O chanceler está em Nova York desde a semana passada por causa da 65ª Assembleia Geral da ONU, que não contou com a presença do presidente Luiz Inácio Lula da Silva este ano, e esta semana segue com reuniões bilaterais.

Amorim disse, citando um conto de Molière, que o Brasil pode estar sendo mediador na questão entre sírios e israelenses sem ter realmente a intenção de assumir esse papel.

 

"Às vezes, a gente descobre que está mediando sem saber que está", explicou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.