Courtesy of Eric Paddock via AP
Courtesy of Eric Paddock via AP

Análise: Contra armas do mercado negro, uma nova lei não serve

Atirador pode ter recorrido a um acessório de baixa tecnologia destinado a transformar um fuzil em uma metralhadora de elevado poder de destruição

Roberto Godoy, O Estado de S.Paulo

03 Outubro 2017 | 05h00

O homem comum, Stephen Paddock, autor do massacre de domingo, em Las Vegas, pode ter usado uma metralhadora militar média, comprada no mercado negro ou empregado um dispositivo barato capaz de transformar fuzis de assalto em armas automáticas com grande poder de fogo. As duas possibilidades são terríveis. No primeiro caso, fica bem caracterizada uma zona negra de vulnerabilidade na rede de coleta de informações montada desde 2001, pouco depois do atentado contra as torres gêmeas de Nova York, pelas 13 agências de inteligência e operações que cuidam da guerra ao terror nos Estados Unidos. 

A legislação federal para aquisição de armas automáticas por civis é muito mais restritiva que a regra vigente para a compra de fuzis, pistolas e munições de calibre até 5.56 mm. Rastreadas, pesadamente taxadas e frequentemente inspecionadas, essa peças acabam ficando nas mãos de colecionadores ricos – obrigados a manter estruturas especiais de manutenção. Uma coisa assim só chegaria até Paddock, um apostador compulsivo, por meio de contrabandistas – ou repassada por grupos extremistas.

O contador que perambulava com garrafas long-neck de cerveja pelos cassinos e campos de golfe da pequena cidade de Mesquite, de 17 mil habitantes, pode ter recorrido a um acessório de baixa tecnologia destinado a transformar um fuzil em uma metralhadora de elevado poder de destruição. Os modelos Hellfire e Bump Fire (BF) podem ser comprados pelos serviços de correios. 

O Bump Fire é o mais barato, sai por US$ 100 com a taxa de entrega. Vem acompanhado de um detalhado manual e, instalado no sistema de controle, libera o modo “fogo à vontade”, com rajadas longas e contínuas. É prejudicial para o mecanismo, que geralmente fica inutilizado em pouco tempo. Também compromete a precisão dos disparos. Irrelevante. Stephen, em seu quarto do hotel Mandalay, tinha diferentes armas, 10 das quais eram fuzis. E, pela janela, 22 mil alvos, dispostos na distância ideal de 500 metros. 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.