Tatyana Zenkovich/Pool via AP
Tatyana Zenkovich/Pool via AP

Análise: Para Putin, quanto mais fraco o governo bielo-russo, melhor

Ideia da Rússia é deixar líder sofrer, afirmam fontes próximas ao Kremlin

Andrew Osborn, Reuters

24 de agosto de 2020 | 04h00

Vladimir Putin acredita que Alexander Lukashenko permanecerá no poder, apesar dos protestos. A ideia da Rússia é deixá-lo sofrer, segundo duas fontes próximas ao Kremlin. Os protestos ajudam Putin, segundo as fontes, que pretende mantê-lo enfraquecido. O líder bielo-russo resiste e muitas vezes critica os esforços de Putin em favor de uma integração política e econômica mais profunda. 

“Os russos não gostam muito dele, mas o apoiam”, disse uma das fontes, que fala diretamente com altos funcionários do Kremlin. A segunda fonte confirma que um Lukashenko fraco atende às necessidades de Moscou. “Os russos saberão usá-lo.” O Kremlin não comenta o assunto. 

Putin ofereceu ajuda a Lukashenko, mas disse que não vê necessidade de apoio militar, por enquanto. Um diplomata da União Europeia garante que a Rússia tem muitas ferramentas para controlar a situação na Bielo-Rússia, mas não parece muito preocupada no momento. “Eles ainda se sentem no controle da situação”, afirmou o diplomata europeu. 

Putin exige que a UE fique longe da crise. As exportações de energia da Rússia fluem através do território bielo-russo para o Ocidente. Moscou fornece petróleo e gás baratos para a Bielo-Rússia e as tropas russas participam de exercícios militares dentro do país vizinho. A Força Aérea russa tem uma estação de radar na Bielo-Rússia projetada para rastrear lançamentos de mísseis balísticos. Moscou também tem no país vizinho uma instalação naval que usa para se comunicar com seus submarinos nucleares. 

A fronteira ocidental da Rússia, que fica de frente para a UE, é fortemente militarizada. A Bielo-Rússia, na visão de Moscou, é uma zona-tampão contra o avanço da Otan. Segundo diplomatas ocidentais, qualquer movimento da Bielo-Rússia para aderir à UE ou à Otan poderia fazer Putin enviar tropas ao país. 

Diplomatas ocidentais dizem que não imaginam a Rússia renunciando sua influência sobre o país vizinho. Por meio da Bielo-Rússia, Moscou tem acesso ao chamado “Corredor de Suwalki”, faixa de terra que separa Polônia e Lituânia. No lado oposto está o enclave russo de Kaliningrado. Em caso de conflito com a Otan, a Rússia poderia isolar os países bálticos do restante da aliança atlântica, ocupando esse espaço. A Bielo-Rússia, portanto, segundo diplomatas, tem um valor estratégico do qual Moscou não abrirá mão tão cedo. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.