Parbul TV/Handout via Reuters
Parbul TV/Handout via Reuters

Análise: Reino Unido pode ter de sair sem sua rede de segurança

Ao procurar preservar os laços mais estreitos possíveis com a UE, Theresa May irritou muitos de seu partido que apoiam uma separação total

Elizabethy Piper, KylieMcLellan e William James / REUTERS, O Estado de S.Paulo

16 Novembro 2018 | 05h00

A hostilidade ao pré-acordo para o Brexit entre parlamentares do governo britânico e da oposição leva ao risco de que o pacto seja rejeitado e o Reino Unido tenha de sair da União Europeia sem a pretendida rede de segurança. Ao procurar preservar os laços mais estreitos possíveis com a UE, Theresa May irritou muitos de seu partido que apoiam uma separação total, irritando também o Partido Unionista da Irlanda do Norte – que apoia o governo minoritário da primeira-ministra. 

Os que propõem relações mais próximas com a UE no partido de May e a oposição trabalhista dizem que o acordo desperdiça as vantagens da associação em troca de um ganho pequeno. Para os dois lado, o acordo efetivamente cede poder à UE sem garantir os prometidos benefícios de maior autonomia. 

A premiê precisará do apoio de 320 dos 650 parlamentares para aprovar o acordo. Entre os cenários possíveis estão: no fim, o acordo será aprovado; May perde o cargo; o Reino Unido deixa a UE sem nenhum acordo; ou mesmo a convocação de outro referendo. 

Ao menos 14 parlamentares conservadores já disseram abertamente que enviaram cartas propondo a moção de desconfiança de May, e outros podem ter feito isso secretamente. São necessários 48 pedidos para dar início à moção. 

Líderes da UE estão prontos para se reunir no dia 25 para assinar o acordo de separação, mas o premiê francês, Edouard Philippe, resumiu as incertezas ao dizer que os últimos acontecimentos em Londres levantam preocupações sobre se o acordo poderá ser ratificado: “Precisamos estar preparados para um Brexit sem acordo”. / TRADUÇÃO DE ROBERTO MUNIZ

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.