Angela Merkel perde popularidade e não seria eleita

A chanceler federal alemã, Angela Merkel, perde popularidade rapidamente e não seria chefe de governo se as eleições fossem hoje, segundo uma pesquisa da revista "Der Spiegel".O estudo revela que apenas 37% dos alemães votariam na democrata-cristã numa eleição direta. O presidente do Partido Social-Democrata (SPD), Kut Beck, obteria o apoio de 43% dos eleitores. Em maio, 64% dos alemães se diziam satisfeitos com o trabalho da chefe de governo. Hoje, a aprovação está em 35%. O vice-chanceler, o social-democrata Franz Müntefering, também recebeu má avaliação. No mesmo período, a sua popularidade caiu de 68% para 49%. A enquete da "Der Spiegel" revela que a população está insatisfeita com o trabalho da coalizão. Só 16% defendem o governo, contra 32% de maio.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.