Angelina Jolie declara que passou por mastectomia dupla

A atriz Angelina Jolie disse que passou por uma mastectomia dupla preventiva, após ficar sabendo que tinha um gene que a tornava extremamente propensa ao câncer de mama.

Agência Estado

14 de maio de 2013 | 09h37

A divulgação foi feita em forma de artigo publicado na edição desta terça-feira no jornal New York Times (http://nyti.ms/17o4A0f ) com o título "Minha escolha médica". Ela contou que entre o início de fevereiro e o final de abril concluiu três meses de procedimentos cirúrgicos para a remoção das duas mamas.

Jolie, de 37 anos, escreveu que tomou a decisão pensando em seus seis filhos, após ver sua própria mãe, a atriz Marcheline Bertrand, morrer de câncer ainda muito jovem.

"Minha mãe lutou contra o câncer por quase uma década e morreu aos 56 anos", escreveu a atriz. "Ela resistiu tempo suficiente para conhecer os primeiros netos e segurá-los nos braços. Mas meus outros filhos nunca terão a chance de conhecê-la e de saber o quão amorosa e graciosa ela era."

A atriz disse que "eles perguntaram se a mesma coisa poderia acontecer comigo". Jolie afirmou que após um exame genético ficou sabendo que tem o gene "defeituoso" BRCA1 e tinha 87% de chances de adquirira a doença.

Ela disse que manteve os acontecimentos em âmbito particular, mas que escreveu sobre o que aconteceu com ela na expectativa de ajudar outras mulheres.

"Eu queria escrever isso para dizer a outras mulheres que a decisão de passar por uma mastectomia não é fácil. Mas é uma decisão e eu estou muito feliz por tê-la tomado", escreveu a atriz.

"Minhas chances de desenvolver câncer de mama caíram de 87% para 5%. Eu posso dizer aos meus filhos que eles não precisam temer que me perderão para o câncer de mama."

Mensagens telefônicas e de e-mail enviadas pela Associated Press na noite de segunda-feira, em busca de declarações de representantes de Jolie não haviam sido respondidas.

A atriz descreveu em detalhes os procedimentos pelos quais passou. "Meu processo começou em 2 de fevereiro, com um procedimento conhecido como "nipple delay", escreveu ela, "que impede o surgimento da doença nos dutos mamários por trás do mamilo e leva mais sangue para a área".

A seguir, ela descreve a realização de uma grande cirurgia duas semanas mais tarde, quando o tecido da mama foi removido. Segundo a atriz, a sensação foi "como uma cena de um filme de ficção científica". Nove semanas mais tarde, ela passou por uma cirurgia para a reconstruir as mamas e receber implantes. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAAngelina Joliemastectomia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.