Animação sobre Hitler causa discórdia na Alemanha

Uma animação que satiriza Adolf Hitler tem causado controvérsia na Alemanha, informou nesta quarta-feira a versão on-line do jornal britânico The Guardian. Feito pelo ilustrador Walter Moers, o desenho Der Bonker foi um dos mais vistos na internet nesta semana (clique no link ao lado), e já despertou críticas até entre judeus. Moers é conhecido por seus desenhos em que o ditador aparece como um pequeno e frustrado homem que dá socos no ar toda vez que judeus são mencionados.O site cita o escritor judeu Ralph Giordano, dizendo que "não se pode tratar o pai do Holocausto dessa maneira". As redes de TV RTL2, ProSieben, MTV e Viva, por sua vez, recusaram-se em divulgar os anúncios de uma companhia de telefonia celular que oferece o vídeo para download. Apesar do boicote, no entanto, executivos da empresa garantiram ao Guardian que o desenho continua sendo um dos cinco mais baixados pelos clientes da companhia.A animação é apresentada em forma de videoclipe musical e mostra uma versão caricata de Hitler na banheira de seu bunker, em 1945, nervoso consigo mesmo pelo decorrer da guerra.Em uma parte do vídeo, ele senta e canta em alemão: "A Segunda Guerra Mundial não é mais divertida. As bombas não caem mais na Inglaterra, mas sim na Alemanha. Ninguém me ouve, todos fazem o que querem e a causa de tudo é aquele Churchill. Isso é de arrasar."Em seguida, ele entra em uma banheira em que patos de borracha usando bigodes como o de Hitler cantam: "Adolf, seu porco nazista, não vê que é hora de se entregar?"Moers respondeu às críticas afirmando que sua sátira a um assunto tão sério tornou-se uma espécie de obrigação. "Se podemos fazer isso? Nós vamos fazer isso."Para a co-fundadora do Memorial do Holocausto de Berlin, Lea Rosh, "este é um assunto sobre o qual não deveríamos fazer piadas".Não é o que pensa, no entanto, o jornalista judeu Henryk M Broder. Para ele, o desenho é uma forma nova de olhar uma discussão antiga. "Que o Hitler era um assassino todo mundo sabe; isso não precisa ser o tópico de todas as teses. Mas Moers mostra de uma maneira maravilhosa o tipo miserável e inútil que enganou os alemães. E isso é bacana."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.