Animais podem abrigar o vírus da Sars

Alguns gatos podem contrair de forma temporária a pneumonia atípica (síndrome aguda respiratória severa, conhecida como Sars), segundo um estudo realizado em Hong Kong, sem, no entanto, transmitir o vírus aos seres humanos. A informação foi dada em Genebra, durante uma teleconferência, pelo responsável pela divisão de doenças infecciosas da Organização Mundial da Saúde (OMS), David Heymann.Segundo Heymann, as pesquisas para conhecer em profundidade as características do vírus da pneumonia atípica procuram, entre outras coisas, descobrir se o vírus passou de um animal para o homem, e quais podem ser os mecanismos para tal passagem de espécie.Normalmente, uma doença que ataca uma espécie não chega a contagiar outras. No caso da Sars, pensou-se, num primeiro momento, que ela teria sido originada em galinhas, mas Heymann sugeriu que a chamada "passagem" poderia ter ocorrido através da carne de animais de caça, como perdizes e coelhos, vendidos comumente nos mercados do sul da China.No estudo realizado em Hong Kong constatou-se que alguns gatos contraem o vírus sem, no entanto, desenvolver sintomas da doença, ou transmiti-la aos seres humanos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.