Anistia acusa Israel e palestinos por assassinatos de crianças

Tanto israelenses quanto palestinos permitiram que crianças fossem assassinadas impunemente durante os últimos dois anos de conflito, segundo relatório da Anistia Internacional divulgado hoje. A organização de direitos humanos, com base em Londres, afirmou que ambos os lados encorajaram o assassinato de crianças - Israel por não investigar ações de suas tropas e a Autoridade Palestina por não exercer controle sobre os grupos armados. Segundo dados levantados pela Associated Press, 236 palestinos e 61 israelenses com menos de 17 anos morreram desde setembro de 2000, quando começou a última intifada (levante palestino).No último incidente, um palestino de 13 anos foi morto hoje com um tiro na cabeça disparado por um soldado israelense no campo de refugiados de Balata, próximo à cidade de Nablus, na Cisjordânia. O Exército não comentou imediatamente o caso. Com relação ao relatório divulgado pela Anistia, os militares israelenses afirmaram que a questão deveria ser tratada pelo Ministério da Defesa, que também preferiu não comentar de imediato.O negociador palestino, Saeb Erekat, afirmou ser injusto acusar a Autoridade Palestina. "A Autoridade Palestina sempre condenou ataques contra todos os civis israelenses, não apenas crianças. É realmente injusto culpar a Autoridade Palestina, que vem sendo atacada e sistematicamente destruída pelos israelenses", afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.