Anistia critica execução de Timothy McVeigh

A publicidade em torno da execução do terrorista Timothy McVeigh, que foi sentenciado à morte por um atentado em Oklahoma City, poderá enviar uma mensagem contraproducente aos norte-americanos e, até mesmo, provocar mais violência, alerta um informe do grupo de direitos humanos Anistia Internacional divulgado nesta terça-feira. O documento, intitulado "Estados Unidos da América: A Ilusão do Controle", afirma que o governo dos EUA corre o risco de transformar McVeigh em um mártir para aqueles que compartilham suas idéias radicais.O informe também sugere que a pena de morte pode inspirar os assassinatos ao invés de desencorajá-los. McVeigh tem sua execução marcada para o dia 16 de maio pelo atentado à bomba, em 1995, contra um edifício federal em Oklahoma City, no qual morreram 168 pessoas e outras 500 ficaram feridas. A execução ocorrerá em uma prisão federal do Estado de Indiana e será veiculada por meio de um circuito fechado de televisão para parentes das vítimas e sobreviventes.Esta será a primeira execução fruto de um julgamento federal em quase quatro décadas. "A sociedade simplesmente terá mais um corpo em suas mãos e mais peso em sua consciência", afirma o documento da Anistia Internacional, que é baseada em Londres."Uma execução... carrega consigo um potencial de gerar vários efeitos colaterais, tais como a diminuição do respeito aos direitos humanos fundamentais e a geração de mais violência".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.