Anistia critica prisão em massa de políticos na Colômbia

Policiais e militares prenderam pelo menos 25 políticos em batidas realizadas de madrugada numa das províncias mais violentas da Colômbia. Grupos de defesa dos direitos humanos denunciaram as capturas como uma tentativa do governo de esmagar a oposição antes das eleições estaduais e municipais, marcadas para domingo. A maioria dos presos, numa operação que mobilizou centenas de soldados e policiais na província de Arauca, são acusados de rebelião e associação com a guerrilha de esquerda.Grupos de defesa dos direitos humanos dizem que o governo foi longe demais. ?Muito disso está ligado a silenciar quem faz campanha por direitos humanos e sócio-econômicos?, disse Peter Drury, um especialista em Colômbia da Anistia Internacional. ?É uma manobra para minar a credibilidade da oposição?, acrescentou, explicando que pelo menos metade dos detidos nessas capturas em massa acabam soltos por falta de provas, mas passam a receber ameaças de morte.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.