Anistia defende direitos de combatentes que se renderem

O Comitê Internacional da Cruz Vermelha deve receber permissão para monitorar o tratamento dispensado aos combatentes da rede terrorista Al-Qaeda, de Osama bin Laden, que estão se rendendo na região de Tora Bora, ao sul do Afeganistão, afirmou hoje a Anistia Internacional (AI).O grupo de direitos humanos, com sede em Londres, expressou sua preocupação com os eventos recentes no forte de Qalai Janghi, próximo a Mazar-i-Sharif, onde várias centenas de soldados do Taleban capturados e outros foram mortos em circunstâncias duvidosas.Tais incidentes, afirma a AI, "geram preocupação com relação ao tratamento recebido por outros combatentes que se entregarem".Guerreiros tribais afegãos cercaram hoje um complexo de caverna em Tora Bora e estabeleceram um prazo para que os membros da Al-Qaeda se rendam. A AI afirmou que o Comitê Internacional da Cruz Vermelha deve acompanhar o processo e o tratamento dos prisioneiros "para assegurar que as pessoas sejam protegidas".Leia o especial

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.